Notícias

 

A FAO e o Governo de Cabo Verde organizam atelier de balanço e consolidação do Diagnóstico sobre o Crescimento Azul

Nações Unidas, Praia, 15 de Abril 2016 - A Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO) e o Governo de Cabo Verde organizam um Atelier de balanço e consolidação do Diagnóstico e identificação dos nichos de Crescimento Azul, incluído no Programa da FAO - Apoio à iniciativa de Crescimento Azul em Cabo Verde, no âmbito da Carta Compromisso a favor do Crescimento Azul, adoptada pelo Governo de Cabo Verde (B.O. 25/11/2015, nº 73).

No ato de abertura, o Diretor Geral dos Recursos Marinhos, Sr. Juvino Vieira, salientou a importância deste Diagnóstico sobre o Crescimento Azul para favorecer a transição de Cabo Verde para a Economia Azul. Isto através do desenvolvimento dos nichos identificados, nomeadamente aqueles ligados à Pesca e os Sistemas Pesqueiros, a Cadeia de Valores, Mercados e Segurança Alimentar, a Aquacultura, o Ecoturismo e o Ambiente.

O Coordenador do Programa do Crescimento Azul, Sr. Joseph Catanzano, destacou que Cabo Verde pode vir ser um país modelo na transição para a economia azul em benefício das populações dependentes dos ecossistemas oceânicos. A intervenção apoiada pela FAO é baseada num processo que poderia criar escola no maneira de engajar diversos países rumo a esta transição. Este processo é fundamentado num ajuste institucional “baseado na publicação oficial da Carta do Crescimento Azul, dotada dum comité de pilotagem e duma comissão consultiva, a elaboração dum diagnóstico participativo e a identificação de nichos de crescimento azul, assim como a implementação duma Unidade de Inteligência Estratégica que será a entidade executora para operacionalizar a Carta, e que contribuirá à preparação dum plano de investimento para acompanhar essa transição”.

A Unidade Estratégica de Inteligência que entrará em funcionamento após a investidura do novo governo, terá como função o apoio ao análises das questões estratégicas da Economia Azul, o fortalecimento da coordenação, desenvolvimento e endosso das ações de comunicação e de sensibilização entre os diversos atores envolvidos no sector da Economia Azul (públicos e privados), e fomentar o desenvolvimento dum observatório para assegurar o adequado seguimento e avaliação das iniciativas.

O Atelier reúne uma missão técnica da FAO composta por especialistas na área da economia azul e membros das direções do governo envolvidas no processo e os seus parceiros: o Ministério das Infraestruturas e Economia Marítima (MIEM), a Direção Geral dos Recursos Marinhos (DGRM), a Direção Nacional do Ambiente (DNA), o Instituto Nacional para o Desenvolvimento das Pescas (INDP), o Centro de Políticas Estratégicas (CPE), o Programa Regional das Pescas da África Ocidental (PRAO), a Autoridade Competente para os Produtos da Pesca (ACOPESCA) e o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD).

Durante as sessões de trabalho tem sido atualizados os dados do diagnóstico, identificados os atores envolvidos em cada ação, os protocolos de trabalho e as plataformas relacionadas, assim como recolhidas as propostas de consolidação dos eixos de ação.

A FAO tem apoiado Cabo Verde através da implementação de um processo participativo de Diagnóstico para o Crescimento Azul, visando promover um portfólio que sirva de base para a elaboração de um plano de investimento, a favor da Economia Azul e do programa de apoio para a transição económica, em diálogo tripartido entre o Governo de Cabo Verde, o Banco Africano de Desenvolvimento e a FAO.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Share |