Notícias

 

Cabo Verde – Fórum Nacional de Educação

“O futuro de Cabo Verde começa por uma educação de qualidade para todos. Cada criança conta, cada criança que abandona a escola torna-se uma prioridade urgente, afirmou o UNICEF, na abertura do primeiro Fórum Nacional da Educação, que contou com a parceria da parceria do UNICEF e do Banco Mundial Cabo Verde

Nações Unidas, 10 de Novembro de 2017 -- “Todos estão de acordo que o mundo está a mudar e a educação também precisa mudar, do topo à base e vice-versa e em todas as áreas, desde as áreas de gestão e sobretudo às práticas nas salas de aula”. Esta afirmação da Ministra da Educação de Cabo Verde, vem reflevtir a forma como o país vê o futuro da educação em Cabo Verde e mostra o caminho que terá de trilhar para alcançar o patamar a que se propõe: uma educação de qualidade, com base na tecnologia e inclusiva.

A educação em Cabo Verde, sempre foi, desde a independência em 1975, uma das prioridades de desenvolvimento e tem, junto com as demais  áreas sociais, colocado o arquipélago, na arena regional e internacional, numa posição privilegiada no que concerne aos indicadores sociais, posicionando-se como um dos países a conseguir os melhores resultados a nível do Objectivos de Desenvolvimento do Milénio.

Nesta fase, em que se está a planificar o futuro das ilhas e das suas gentes, com base nas prioridades nacionais, na agenda 2030 e nos Objectivos do Desenvolvimento Sustentável, não deixando ninguém para trás, a educação e a tecnologia constituem factores indissociáveis desse futuro, particularmente, quando esse país, que é o caso de Cabo verde , tem uma população maioritariamente jovem e vivencia uma transição demográfica, onde o dividendo demográfico constitui uma das grandes janelas de oportunidades a que se tem que agarrar.

Neste contexto, o “petit pays” (de Fernando da Cruz e tornado grande pela voz de Cesária Évora), sonha grande e começa a fazer com que o seu sonho seja realidade. Pois, não é possível pensar o futuro em Cabo Verde sem uma educação moderna, de excelência, inclusiva e altamente tenológica.
Daí a importência que tanto o UNCIEF, como o Banco Mundial, e os parceiros nacionais, particularmente o Governo de Cabo verde, têm atribuído a Fórum Nacional da Educação, realizado em Novembro na cidade da praia e que contou com a  presença aos mais alto nível das autoridades cabo-verdianas. A realização do fórum teve como objetivos a recolha de subsídios, partilha e discussão de diversas temáticas ligadas à educação, no sentido de se enriquecer a estratégia de intervenção do setor da educação e melhorar todo o processo

Mais de três centenas de participantes, entre dirigentes do Ministério da Educação, parceiros internacionais, sociedade civil, autarquias, associações e universidades participaram nos trabalhos e nas diversas sessões de grupos que visava, ainda, mobilizar conhecimentos e contribuições de todo o sector educativo, melhorar a articulação entre áreas e ações prioritárias e recolher elementos que irão enriquecer o sistema educativo.

A realização deste fórum foi pensado durante o processo da elaboração do Plano Estratégico de Educação 2017-2021, que contou com um forte apoio e engajamento do GPE (Global Partner Education) , como forma de comunicar com a comunidade educativa e não só, sobre as políticas do Governo para o sector e permitir pensar na implementação das áreas prioritárias desse plano, nomeadamente o “acesso universal à educação”, a “excelência do sistema educativo” e a “qualidade do ensino superior e a valorização do ensino técnico/profissional”.

Foi não só um evento pensado para se discutir os assuntos da educação com todos os intervenientes, mas também um exercício pleno de cidadania em que todos os atores puderam ter vez e voz na reflexão e busca das grandes soluções para a educação em Cabo Verde.
Para além disso, este Fórum de Educação surgiu num contexto muito particular e importante para este Arquipélago, pois o país está a preparar a implementação do novo Plano Estratégico da Educação. Este Plano Estratégico está assente em bases fortes, sendo a análise sectorial feita em 2014, pelo Consultor do Banco Mundial, Prof Alain Mingat, um pilar importante da sua construção.

O Plano Estratégico é também um dos pré-requisitos para o país aceder ao financiamento da Parceria Global para a Educação, processo esse que se encontra na sua reta final, podendo o país nos próximos anos ter à sua disposição um fundo de 1.4 milhões de dólares para o setor da educação.

O UNICEF em Cabo verde tem sido um parceiro incontornável no sector da Educação em Cabo Verde, particularmente , no alinhamento da política educativa, em função da agenda do atual governo.

Por tudo isso, é seguro que as propostas saídas deste fórum, venham ter efeitos imediatos sobre as crianças e, a médio e longo prazo, impactos no crescimento e no desenvolvimento do país. A perspetiva de um forte investimento no pré-escolar e na Educação Inclusiva e a maior fatia (20%) do orçamento do Estado dedicada ao sector da educação para o próximo ano mostra que o país está no caminho certo.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Share |