Notícias

 

UNICEF e ICCA apresentam na Praia Estudo sobre o Abuso e a Exploração Sexual de Crianças

 

Nações Unidas, Praia 9 de Abril de 2015 -  O Abuso e a exploração sexual de crianças e adolescentes é uma das mais graves violações, não somente dos direitos da infância e adolescência mas também dos Direitos Humanos. Um fenómeno mundial, que segundo o último relatório do UNICEF sobre a violência contra as crianças, 120 milhões de meninas menores de 20 anos em todo o mundo, ou seja , cerca de 1 em cada 10, tive relações sexuais forçadas.

Em Cabo Verde os levantamentos realizados em 2004/2005 e 2009/2010 com o apio do UNICEF, indicavam: um aumento progressivo do número de casos de crianças vítimas de abuso sexual; que grande parte dos abusadores são parentes ou vizinhos das vítimas sobre quem as suspeitas são baixas ou que, por pressão sobre a vítima ou sobre a mãe, impedem a denúncia; a vulnerabilidade das novas gerações no contexto do desemprego juvenil; e a incidência da exploração sexual no contexto do turismo e da globalização do trabalho.

É neste contexto que está a decorrer na cidade da Praia, nos dias 09 e 10 de Abril, um atelier de apresentação e validação do III estudo e plano de acção nacional sobre o abuso e a exploração sexual de crianças e Aadolescentes, organizado pelo UNICEF, em parceria com o Ministério da Juventude, Emprego e Desenvolvimento dos Recursos Humanos, (MJEDRH) e do Instituto Cabo-verdiano das Crianças e Adolescentes (ICCA).

Durante o acto de abertura que foi presidido pela Ministra da Juventude, Emprego e Desenvolvimento dos Recursos Humanos, Janira Hopffer Almada, a Coordenadora Residente das Nações Unidas, Ulrika Richardson, realçou os resultados de quatro decadas de parceria entre Cabo Verde e o UNICEF, e mais específicamente referente ao trabalho que começou em 2004/2005 e 2009/2010, quando o UNICEF apoiou a elaboração de dois estudos e a formulação de dois Planos de Acção.

“A problemática do Abuso e da Exploração Sexual continua demandando uma atenção particular, precisando ser quantificada, localizada e analisada e, por fim, corrigida com planos de acção pertinentes e abrangentes. De realçar também que foi um exemplo de construção colectiva, fomentando uma maior responsabilização e estabelecendo o consenso, dada a diversidade dos sectores envolvidos, o que permite a necessária inter-sectorialidade ” sublinhou ainda Ulrika Richardson.

De sublinhar que os dados que o surgimento desto III° estudo, vão permitir fazer uma análise aprofundada, com base em evidências, dos determinantes sócio-culturais que estão por detrás do abuso e da exploração sexual de crianças e adolescentes em Cabo Verde, bem como do quadro legal e institucional vigente e conhecer o tratamento dado aos casos em termos institucionais e familiares, e propor medidas adequadas por forma a contribuir para o desenvolvimento de políticas mais eficazes de luta contra o abuso e a exploração sexual e criar um ambiente protector para a criança e o adolescente.

 

.

.

Share |