Notícias

 

Campanha Livres e Iguais: Cantora Mayra Andrade é madrinha da campanha

 

Nações Unidas, Praia, 10 de dezembro de 2015 - No dia 10 de Dezembro de 2010, no culminar dos dezasseis dias do ativismo a nível nacional, foi lançada a Campanha Internacional Livres & Iguais, em Cabo Verde.

No evento, presidido pela Ministra- Adjunta e da Saúde, Dra. Cristina Fontes, a Representante das Nações Unidas, Senhora Ulrika Richardson, fez referência ao contexto internacional que teve na génese, do lançamento em 2013, pelo Alto Comissariado dos Direitos Humanos da Nações Unidas, da Campanha Livres e Iguais. Realçou os objectivos da campanha que são: promover a educação para a igualdade e o respeito pelos direitos das pessoas LGBT, e aumentar a conscientização sobre a violência e a discriminação homofóbica e transfóbica em todos os lugares do mundo. Também frisou os ganhos significativos alcançados em vários países (nomeadamente, 3 países discriminalizaram a relação entre pessoas do mesmo sexo, 14 países adoptaram leis anti-discriminatórias, e de crimes de ódio, abrangendo a protecção de pessoas LGBT, e inter-sexos; 12 países aprovaram o casamento, e a união de facto entre pessoas do mesmo sexo, e inter-sexos, 10 países mudaram as leis de reconhecimento do género, para facilitar a obtenção legal de documentos de identificação às pessoas transexuais, que reflita o seu género; 1 país introduziu a portecção legal para a integridade física das crianças intersexuais), segundo o Relatório 2015, “Leis e práticas discriminatórias e atos de violência cometidos contra pessoas pela sua orientação sexual e identidade de género” do Alto Comissariado das Nações Unidas, mas também falou da necessidade de se trabalhar em prol da discriminalização das pessoas LGBT, dado que em mais de 76 países são penalizadas as relações consentidas entre pessoas do mesmo sexo.

A coordenadora Residente do Sistema das Nações Unidas em Cabo Verde, destacou ainda que no país, a campanha nacional “Livres e Iguais” se enquadra nos valores dos direitos humanos, que pretende falar “entre nós” sobre o tema visando conhecer o nível de discriminação, necessidades e conhecimento do tema entre as pessoas.

Por seu lado, a Ministra-adjunta e da Saúde, Dra. Cristina Fontes, no seu discurso de encerramento, do Lançamento da Campanha “ Livres e Iguais” indicou que “os direitos humanos são práticas culturais que fomos incutindo, em Cabo Verde, desde a independência para garantir o direito de cada um, pelo que hoje, temos de continuar o nosso desenvolvimento, nesta matéria, a vários níveis e estar sempre presentes para responder às causas”. Avançou que,  há que garantir umamaior conscientização das pessoas sobre a violência, a discriminação, homofobia e transfobia e um maior respeito pelos direitos das pessoas lésbicas, gays, bissexuais e transgêneros (LGBT). Segundo a governante, quando há intolerância ou qualquer fobia, que coexiste com a ignorância cultural, é necessário fazer com que as pessoas compreendam e superem.

No encontro, a Coordenadora Nacional de Programa das ONUMULHERES em Cabo Verde. Vanilde Furtado, apresentou o Plano de Acção da Campanaha “ Livres e Iguais” 2016, e as várias actividades que serão realizadas neste âmbtio tais como: palestras de sensibilização nas escolas e comunidades, exposição de fotografias, corridas, ciclo de cinema, spots informativos e concurso sob o tema “De pequeno se torce a discriminação”, entre outros.

Para finalizar o evento foi apresentado o vídeo spot oficial da Campanha para Cabo Verde, protagonizado pela Madrinhada Campanha Mayra Andrade, a qual no momento da sua apresentação oficial manifestou que“a questão das pessoas lésbicas, gays, bissexuais e transgéneros (LGBT) no país está um pouco atrasada. Digo isso sem medo, porque sei que existem indivíduos que vivem oprimidos e com medo de assumirem o que realmente são”, afirmou, saudando os que assumiram a sua conduta sexual e lutam para conquistar maiores direitos.Adiantou ainda que, Cabo Verde deve abraçar a causa da LGBT para que, em pouco tempo, no que respeita a legislação conseguir ter igualdade de direitos para pessoas independentemente da sua escolha sexual. E admitiu ainda ser importante, como cabo-verdiana, sentir que a sua Nação está a avançar não só em termos de desenvolvimento social, político, mas também no que respeita á direitos humanos

Por último a Madrinha da Campanha presenteou-nos com uma belíssima actuação musical.

O encontro contou ainda com da Primeira-dama de Cabo-Verde, Dra. Lígia Fonseca, representantes Entre as instituições nacionais, Deputados da Nação, da Presidente da Assembleia Municipal da Praia, a Vereadora de Assuntos Sociais e Género, e o Vereador da Cultura, Desporto e Juventude da Câmara Municipal da Praia, a Presidente do Instituto Cabo Verdeano para a Igualdade, e Equidade do Género, a Presidente da Comissão Nacional dos Direitos Humanos, a Presidente do Instituto Cabo Verdeano da Criança, e do Adolescente, a Delegada da Educação da Praia,uma representante daDireção Geral da Juventude; bem como representantes de Organização Não Governamentais.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Share |