Notícias

 

A Casa Azul das Nações Unidas cobre-se de laranja.

16 Dias de Ativismo contra a Violência contra as Mulheres e Meninas e de promoção dos Direitos Humanos #‎16days

 

Nações Unidas, Praia 25 de Novembro 2015 - As Nações Unidas em Cabo Verde e seus parceiros lançaram ao final da tarde do dia 25 de Novembro, Campanha 16 Dias de Ativismo contra a Violência contra as Mulheres e Meninas e de promoção dos Direitos Humanos numa cerimónia que contou a presença de S. Excia Senhor Presidente da Republica de Cabo Verde, da Primeira Dama de Cabo Verde, do Corpo Diplomático e Representantes de Organização Internacionais, de representantes de instituições públicas e da sociedade civil.

No ato oficial, o Chefe de Estado Cabo-verdiano, Dr. Jorge Carlos Fonseca, considerou que "O Movimento Laranja e os "16 Dias de Ativismo Contra a Violência de Gênero" que culminam a 10 de Dezembro – Dia Internacional dos Direitos Humanos -promovidos pela ONU Mulheres, são uma eloquente chamada de atenção para esta problemática inadmissível na pós-modernidade. Tão importante quanto favorecer a capacitação das mulheres e contribuir para criação de condições apropriadas para se precaverem e enfrentarem a violência baseada no género, é sensibilizar e consciencializar os rapazes e os homens para valorizarem as mulheres; para não usarem ou defenderem o recurso a violência, qualquer que seja (física, sexual, psíquica/verbal); para promoverem as vias da comunicação, o desenvolvimento de relações positivas e de respeito pelo género feminino." - Praisente da República de Cabo Verde, Dr. Jorge Carlos Fonseca, na cerimonia do lançamento da Campanha 16 Dias de Ativismo Contra a violència contra a melheres e meninas

Por seu lado, a Coordenadora Residente do Sistema das Nações Unidas em Cabo Verde ressaltou que " Em praticamente doze anos, Cabo Verde fez progressos notáveis nessa área: o silêncio foi quebrado e a violência contra as mulheres passou a ser denunciada, falada, debatida, recriminada socialmente e objeto de legislação própria. Deixou de ser assunto privado e passou a ser assunto de interesse público. Saiu à rua, ocupando espaços diversos como a escola, a igreja, os tribunais, as esquadras da polícia, hospitais, foruns juvenis, eventos culturais, centros de juventude e acções de formação. Multiplicaram-se os serviços e as capacidades disponíveis para proteger e atender às necessidades das vítimas. E mais, criou-se um programa para responder também às necessidades de reinserção de homens arguidos por praticá-la".

Para a Coordenadora Residente do Sistema das Nações Unidas, a violência baseada no género é a amostra mais clara de discriminação e violação dos direitos humanos das mulheres e das meninas e por isso as Nações Unidas coloca o combate à violência contra as mulheres e meninas como prioridade absoluta, e pela primeira vez na história – e com a nova agenda para o desenvolvimento sustentável e os ODSs - os países integraram explicitamente a eliminação da violência contra as mulheres e meninas como uma das prioridades globais e como meta a ser alcançada até 2030.

Durante esta visita, a primeira de um Chefe de Estado à Sede das Nações Unidas em Cabo Verde,  a Coordenadora Residente, Ulrika Richardson aproveitou a oportunidade para enaltecer, agradecer e felicitar o Presidente da República de Cabo Verde, Dr. Jorge Carlos Fonseca, pelo seu engajamento na promoção da campanha HeForShe (Ele por Ela), lançada em Março pela ONU Mulheres, ao mobilizar cinco mil homens e rapazes nesta causa.

Na ocasião, os Embaixadores de Espanha, de Portugal e do Brasil também usram da palavra para manifestarem o seu engajamento e compromissos nesta causa, para além de referirem as experiências e iniciativas levadas a cabo nos respectivos países.

Recorde-se que o Presidente da República, Jorge Carlos Fonseca, aceitou, no início deste ano, o convite formulado pela Directora Executiva da ONU Mulheres para ser, junto com outros líderes mundiais, um Campeão da Campanha Mundial “He For She” – “Ele Por Ela” (tradução) e promover a consciencialização e o envolvimento de homens e rapazes na causa pela Igualdade do Género, contra as discriminações e violência praticada contra as meninas e mulheres, tendo assumido, no momento do lançamento, o compromisso de mobilizar cinco mil subscrições à campanha, uma meta que foi cumprida em meados do corrente mês, com uma performance de destaque na África e no mundo.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Share |