Notícias

 

Apresentação do estudo sobre a participação eleitoral numa abordagem de género 2014

Nações Unidas, Praia, 17 de Março de 2014 - No âmbito da comemoração do Mês da Mulher, a  Rede de Mulheres Parlamentares apresentou ontem, 17 de Março, na Assembleia Nacional, o estudo sobre a “Participação eleitoral em Cabo Verde: uma perspectiva de  género”.   Este Estudo tem por objectivo conhecer as atitudes e as praticas que determinam o comportamento eleitoral dos e das caboverdeanos (as) e conhecer o perfil dos indivíduos que não se recenseiam por faixa etária e por sexo, identificar as causas de abstenção eleitoral, as deficiências do sistema eleitoral, etc.

Durante a sessão de abertura,  que foi presidida pelo  Presidente da Assembleia Nacional Basílio Mosso Ramos, a Coordenadora  do Sistema das Nações Unidas em Cabo Verde, Ulrika Richardson-Golinski, destacou como a igualdade para as mulheres significa progresso para todos e “que este estudo põe em relevo a realidade da situação e propõe instrumentos de sensibilização para despoletar novos comportamentos a todos os níveis, tendo como finalidade legitima a igualdade de responsabilidade e de direito, vector essencial duma democracia participativa  e evolutiva”.

Segundo  o Presidente da  Assembleia Nacional, o país avançou muito em termos de igualdade e equidade de género, mas ainda há  necessidade de se fazer mais para uma maior participação política das mulheres. Ainda, segundo Basílio Mosso Ramos  o estudo apresentado irá ajudar na adopção de políticas que permitirão remover os escolhos e atingir novos patamares em termos da participação política  e partilha do poder da mulher .

Por seu lado,  Ewa Tomaszewska, em representação do Delegado da União Europeia,  fez referência sobre os projectos que essa instituição tem vindo a promoção e o reforço da igualdade e equidade do género, manifestando o interesse desse organismo  em continuar a trabalhar para que as mulheres possam conquistar a igualdade de participação em todos os níveis de tomada de decisão e participação politica.

Segundo este estudo, o perfil dos não recenseados indica que é na camada jovem com idade compreendida entre os 18-24 anos em que existe a maior taxa de não recenseados representando cerda de 57,6% do universo analisado pelo estudo. A grande maioria dos não recenseados são predominantemente estudantes e/ou desempregados e têm nível de instrução secundário ou superior. Ainda segundo o estudo a percentagem de recenseados é ligeiramente superior entre as mulheres comparado com os homens (88% e 87%, respectivamente). Mas, entretanto, nas idades entre 25-64 anos, encontram- se mais homens sem recensear do que mulheres.

De realçar que o estudo foi elaborado pelo projecto Ciclos Eleitorais nos PALOP e Timor Leste executado pelo PNUD e totalmente financiado pela União Europeia.

O evento contou  também com a presença da Ministra Adjunta e da Saúde, da Ministra das Comunidades, do Ministro dos Assuntos Parlamentares, da Primeira Dama de Cabo Verde, dos eleitos nacionais e municipais, de representantes de organismos do Estado e da sociedade civil, do Corpo Diplomático, entre outras personalidades.

Share |