Notícias

 

Apresentado na cidade da Praia, o primeiro Plano Nacional do Emprego, o PNE-CV 2018-2030

 

Nações Unidas, 5 de Dezembro de 2018 - Foi apresentado, na cidade da Praia, o primeiro Plano Nacional do Emprego, o PNE-CV 2018-2030. Um instrumento orientador para a política de emprego que está enquadrado no Programa de apoio à Estratégia Nacional de Criação de Emprego (PAENCE), financiado pela Cooperação Luxemburguesa, e executado pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) e a Organização Internacional do Trabalho (OIT).

Na cerimónia de abertura do atelier de socialização do primeiro Plano Nacional do Emprego, presidida pelo Vice Primeiro Ministro, Dr. Olavo Correia, a Encarregada de Negócios do Grã-Ducado do Luxemburgo, Angèle Da Cruz, salientou que enquanto parceiro de desenvolvimento o Luxemburgo tem vindo a apoiar desde longa data o combate aos problemas de emprego e empregabilidade e que esse plano tem como objetivo principal apoiar, precisamente, o Governo de Cabo Verde a criar uma estratégia de emprego.

Por seu lado, a Coordenadora Residente do Sistema das Nações Unidas em Cabo Verde, Ana Graça, agradeceu a confiança depositada pelo Governo de Cabo Verde e pela Cooperação Luxemburguesa nas agências das Nações Unidas parceiras de execução deste programa, destacando que a problemática do emprego interpela a todas as sociedades e governos sobretudo num contexto de alguma recessão global em que as economias têm cada vez mais dificuldades em gerar empregos decentes e duradouros e em que Cabo Verde não é exceção.  

>Ana Graça realçou ainda que o plano apresentado aborda a questão do emprego tanto no lado da oferta como no lado da procura passando também por uma análise da política pública sectorial do trabalho, segurança social e sindicalização estratégicos para promover o emprego e a empregabilidade.

A Coordenadora Residente do Sistema das Nações Unidas em Cabo Verde frisou igualmente que o plano visa dar resposta aos desafios do sector do emprego em Cabo Verde dotando o país com importantes instrumentos de planificação a médio prazo numa perspetiva integrada de governação e de políticas públicas a favor do emprego.

Fazendo uso da palavra o Vice-Primeiro Ministro de Cabo Verde e Ministro das Finanças, Olavo Correia, disse que este Plano tem que ser um plano de ação.

“Temos em Cabo Verde cerca de 65 mil jovens que foram aqui referidos e estão fora do emprego, fora da educação e fora da formação profissional. São jovens que estão excluídos do sistema educativo e do mercado de trabalho. E destes, 36 mil são mulheres e esse número deve ser um forte incentivo para que possamos trabalhar e alterar este panorama.”

Olavo Correia apela ainda a uma coordenação num quadro de abertura de forma a que todos participem para que as ações sejam mais eficientes e eficazes.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Share |