Notícias

 

Erupção Vulcanica - Relatório da Avaliação das Necessidades Pos-desastre (PDNA) apresentado na Praia

 

Nações Unidas, Praia 03 de Setembro de 2015 -  O Relatório “Avaliação das Necessidades Pós-desastre (PDNA)” elaborado na sequencia da erupção vulcânica , ocorrida na ilha do Fogo em Novembro de 2014, será apresentado hoje na Praia, às 14h30, no Palácio do Governo.

A Avaliação das Necessidades Pós-desastre (PDNA) cujo relatório se publica agora resulta dos esforços do Governo de Cabo Verde e dos seus parceiros internacionais, como as Nações Unidas, o Banco Mundial, a União Europeia e os Governos de Luxemburgo e Japão e visa dotar o país de uma avaliação com base numa metodologia internacionalmente aceite para a mobilização de recursos e de parcerias no quadro de uma estratégia de recuperação e reconstrução pós-desastre. Este PDNA foi elaborado numa lógica de reforço das capacidades sectoriais e locais.

Note-se que, no geral, a erupção deixou um rastro de devastação, tendo destruído completamente os dois assentamentos na caldeira e deslocou as 994 pessoas que lá viviam.

>O valor total dos efeitos da erupção (danos físicos e perdas de produção) foi estimado em 2,832.30 milhões de escudos cabo-verdianos (CVE), equivalentes a US$ 28 milhões (ver tabela ES.1). Desse montante, 2,138.0 milhões CVE referem-se ao valor dos activos destruídos (75,5% do total) e 694.300.000 CVE são as alterações nos fluxos de produção de bens e serviços (24,5% do total). Esta distribuição é típica em desastres causados ​​por catástrofes naturais de origem geofísica (isto é, o valor de danos é maior do que o valor de perdas).

Como consequência, registou-se um considerável impacto macro-economico na região sendo que os danos causados pela erupção traduzem-se numa perda de investimentos no fim de 2014, equivalente a 0,42% do total, com as maiores perdas ocorridas no sector primário. A maior perda em relação ao PIB ocorre em 2015 e é equivalente a 0,44$ do PIB previsto desse ano.

A nível do desenvolvimento humano os efeitos da erupção, a redução da actividade económica, ligadas à agricultura e ao turismo,  tem um impacto negativo considerável no rendimento das famílias  que poderá afectar outros aspetos como  o bem-estar da população, nomeadamente a nutrição, saúde e educação. Continua a ser difícil estimar as consequências psicológicas do desastre na população afectada e, em particular, os aspectos sociais e culturais do realojamento da comunidade de Chã.

Embora a erupção vulcânica tenha revelado algumas vulnerabilidades existentes, a estratégia de recuperação oferece uma oportunidade para fazer face a essas vulnerabilidades através da adopção de uma abordagem de reconstruir melhor como princípio orientador. Isso ajudará a aumentar a resiliência geral da população afectada e a promover o desenvolvimento sustentável. A estratégia de recuperação deve atender às necessidades emergentes relacionadas com o acesso a serviços públicos, como saúde e educação e a melhoria das condições de vida das comunidades afectadas, não só através da retoma das actividades agrícolas existentes, mas também da diversificação da capacidade de produção de rendimento das famílias, oferecendo alternativas sustentáveis e expansão das oportunidades relacionadas com o turismo. A estratégia deve também proteger seus meios de subsistência, através do reforço das capacidades nacionais e locais para a gestão do risco de desastres e gestão ambiental.

As necessidades de recuperação pós-desastre e os custos conexos foram identificados para cada sector incluídos na análise. O montante total para o processo de recuperação é estimado em 287,9 milhões CVE, equivalente a US$ 30,2 milhões.

Refira-se que o PNDA é um documento de mobilização dos recursos, e nele são definidos os eixos de intervenção, a estratégia e os objetivos a médio e longo prazo, em que se identifica todos os sectores económicos, sociais bem como as questões transversais, como género e ambiente. Com este trabalho o Gabinete de Reconstrução do Fogo terá elementos que permitam cumprir da melhor forma o seu objetivo na elaboração de um plano de ação de recuperação de Chã das Caldeiras, no empoderamento das famílias com programas específicos de desenvolvimento do tecido produtivo (agricultura, pecuária, agronegócio, turismo etc.) e na infraestruturação da zona do novo assentamento (Sectores: Saúde, Educação/Desporto, Social e Cultural) com uma perspectiva de redução dos riscos de desastres para a população.

A cooperação entre a UE, PNUD e Banco Mundial em processos de recuperação pós-desastre decorre de uma Declaração Conjunta no Avaliação e Planeamento de Recuperação Pós-Crise assinada pelas partes em 2008. O objectivo da Declaração Conjunta é o de mobilizar instituições e recursos para harmonizar e coordenar estruturas de resposta pós-crise de modo a aumentar a resiliência dos países à crise.

 

(Foto: José Futado)

 

 

 

.

Share |